quarta-feira, 15 de maio de 2013

União Européia


Europa : A União Européia

Devido ao grande sucesso de suas formas de organização econômica, especialmente do Mercado Comum Europeu, os países europeus partiram em busca da hegemonia econômica e política que possuíam antes da II Guerra Mundial. Estava claro para eles que somente a sua união poderia trazer de volta a posição anterior e a possibilidade de voltar a competir de igual para igual com E.U.A. e Japão, uma vez que o modelo soviético, em crise desde meados dos anos 70, entrou em colapso e acabou por desmontar a U.R.S.S. Um encontro entre os países membros foi realizado na cidade holandesa de Maastricht. Ficou acertado, entre outras coisas , que teria início um processo de unificação econômica jamais visto antes. Um Banco Central, com uma moeda única seriam criados. A implantação desta moeda, bem como das demais medidas, seria de forma gradual, para não chocar as estruturas em funcionamento em cada país. Passaria a existir uma livre circulação de pessoas , de mercadorias e de capitais entre os países membros. Essas transformações profundas criariam um novo espaço econômico que seria chamado de União Européia (UE). Era previsto um prazo até 1997 para a implantação total dessas inovações, mas este prazo já foi estendido até 1999, devido a alguns problemas encontrados, tais como a reação inglesa ao futuro fim da libra, o desentendimento quanto à questão das migrações internas que levariam muitos trabalhadores de regiões pobres , como o sul da Itália e a Grécia, para as regiões e países onde há melhores condições de vida e salários mais altos, entre outros, como a questão de se participar de uma associação em que a Alemanha ( autora de duas guerras mundiais) é, sem dúvida, o país "chefe" ou pelo menos o mais importante.
A idéia é formar um bloco econômico (ou mega-mercado como preferem alguns autores) capaz de disputar a guerra comercial entre o NAFTA e a BACIA do PACÍFICO, colocando-se como uma terceira força. Para isso foi acumulada a saúde financeira, com seus mercados, mão-de-obra, capitais e tecnologia, de dezenove países da Europa Ocidental, cujo símbolo passa a ser um círculo formado por 19 estrelas douradas num fundo azul escuro. Já estão aparecendo os primeiros frutos dessa união: o Brasil, que sempre teve com os E.U.A. sua maior parceria comercial, hoje possui um volume de negócios superior com a Comunidade Européia. A formação desses blocos econômicos parece ser mais uma tendência mundial , mais uma vez lançada pela Europa.
cen � a r g � da natalidade: 19%0 atualmente. A mortalidade também diminuiu: 7%0. O crescimento atual é, portanto, 1% ao ano.
A estrutura etária mostra uma população basicamente jovem, com mais da metade dos habitantes na faixa de 0 - 20 anos de idade.
Apesar do enorme contingente populacional, a densidade demográfica da China, 104 habitantes por km2, não é alta devido à enorme extensão do território, 9,6 milhões de km2. A distribuição espacial da população mostra uma enorme divergência entre a China Ocidental e Oriental. Aproximadamente 90% dos chineses ocupam apenas 20% do território.
Nas grandes planícies férteis e nos deltas do mar Amarelo, as densidades ultrapassam mil habitantes por km2. As maiores concentrações se verificam a partir do vale médio do Yang-Tsé na bacia Vermelha (Se-Chuan) e no sul da Mandchúria.
Como aproximadamente 80% da população está na zona rural, a forte concentração populacional coincide com as terras em condições de cultivo: solos orgânicos, profundos e porosos. As condições agrícolas desfavoráveis das terras elevadas da China Ocidental são em parte responsáveis pela rarefação populacional na região.
Ocorre atualmente um intenso movimento de ocupação no sentido sul - norte - nordeste - oeste. A Mandchúria, por exemplo, possuía 15 000 000 de habitantes em 1910 e hoje essa cifra se aproxima dos 100 000 000.
a n[ � s e (� @E� áticos é total e se traduz em chuvas pesadas no verão e invernos pouco rigorosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muito agradecido pela sua visita.
Me perdoe não poder responder às suas perguntas.
Se gostou e quiser elogiar ou criticar positivamente, ficarei agradecido e até envaidecido.
Se não gostou, não há necessidade de expor sua ira, frustrações ou ignorância escrevendo grosserias. Simplesmente procure outro material na internet.
Forte abraço!
Prof. Miguel