quarta-feira, 15 de maio de 2013

Europa - Organizações Econômicas e Militares


Europa : Organizações Econômicas e Militares

Uma das principais características da organizacão econômica da Europa é a existência de vários organismos supranacionais, que unem vários países em interesses comuns. Essa tendência surge após a Segunda Guerra Mundial, responsável pela consolidação de dois novos blocos político-econômicos que irão substituior as velhas nações européias diante do mundo contemporâneo. Além disso, o fato de a guerra ter ocorrido em território europeu contribuiu para a destruição quase que total do parque industrial desse continente. Diante da destruição do pós-guerra e do avanço do socialismo em países do leste europeu, seguindo os fundamentos de contenção (Doutrina Truman), a Europa recebe uma linha de crédito especial, governo a governo, conhecida como Plano Marshall. Cerca de 13 bilhões de dólares foram para a Europa numa suposta ajuda para reconstrução, mas que tinha como objetivos a contenção do avanço da influência soviética e o surgimento de uma dependência por parte da economia européia em relação aos E.U.A. Podemos dizer que o plano americano deu certo, pelo menos num primeiro momento, mas as nações européias não iriam aceitar essa dependência por muito tempo. A saída encontrada foi a união em organizações que diminuiriam essa dependência.
 BENELUX: Criada em 1944, com sede em Bruxelas, foi a primeira organização européia. Seus membros eram Bélgica, Holanda e Luxemburgo. Seu objetivo era aumentar a circulação de mercadorias entre os países membros através de uma política conhecida como protecionismo. Seu sucesso trouxe para a Europa a idéia de que poderia se juntar para diminuir as resistências econômicas vindas da América .
CECA: A Comunidade Européia do Carvão e do Aço foi criada em 1952, com sede em Luxemburgo, e seus membros são, além dos três do Benelux, a Itália, a Alemanha e a França. Mais tarde entraram também o Reino Unido e a Dinamarca. Sua função era incentivar a produção e a circulação do carvão (energia) e do aço (matéria-prima) entre os seus membros.
M.C.E.: O Mercado Comum Europeu foi criado em 1957 pelo Tratado de Roma, tem sede em Bruxelas. Seus membros fundadores foram: Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Alemanha, Itália e França. Em 1973 foram incorporados ao Mercado o Reino Unido, o Eire e a Dinamarca. Em 1981 entrou a Grécia e em 1986 entraram Portugal e Espanha, formando o que ficou conhecido como a Europa dos doze. Seu objetivo era ser uma entidade que atuasse em muitas frentes para promover o desenvolvimento dos seus membros. Foi criado um Banco para realocar capitais a juros baixos e assim aplicar o que estava sobrando onde estava faltando. Também foi criado um sistema de circulação de mercadorias pela integração de rios, ferrovias e portos, barateando e aumentando a eficiência do transporte no continente. Um amplo programa de imigração tentou resolver o problema de envelhecimento de alguns países, e a diminuição de tarifas alfandegárias incentivou o comércio entre eles, tornando a Europa um polo econômico intermediário entre norte-americanos e soviéticos, diminuindo, assim, a dependêcia dos E.U.A.
COMECON: Foi criado em 1949, com sede em Moscou, e foi o representante socialista do Mercado Comum, servindo para circular com os produtos excedentes e angariar os produtos carentes ou não produzidos internamente nos países membros. Eram eles: U.R.S.S., R.D.A., Bulgária, Hungria, Polônia e Romênia. Essa organização acabou em 1990, durante a crise sofrida pela União Soviética.
AELC: A Associação Européia de Livre Comércio foi criada em 1959 para criar um espaço econômico sem a perda da autonomia política, que era o grande problema do M.C.E. segundo os membros desta organização. Com sede em Genebra (Suíça) e criada pelo Tratado de Estocolmo, faziam parte de seus quadros: Noruega, Suécia, Finlândia, Islândia, Suíça, Áustria e Liechtenstein. Em 1992 o Tratado do Porto criou o E.E.E. (Espaço Econômico Europeu), que fundiu o interesse de 19 países, integrando a AELC à União Européia.
Além das organizações econômicas, durante os anos do pós-guerra, o mundo , caracterizado pela bipolarização, viu surgirem organizações militares. Eram como exércitos multinacionais que escondiam a participação e liderança destes blocos por E.U.A. e U.R.S.S. A OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) foi criada para proteger os seus membros capitalistas de uma ação militar soviética, e o Pacto de Varsóvia era o seu similar socialista. Na verdade, teremos a oportunidade de ver que estes organismos mais serviram de efetivação do poder das duas superpotências do que de proteção para os seus membros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muito agradecido pela sua visita.
Me perdoe não poder responder às suas perguntas.
Se gostou e quiser elogiar ou criticar positivamente, ficarei agradecido e até envaidecido.
Se não gostou, não há necessidade de expor sua ira, frustrações ou ignorância escrevendo grosserias. Simplesmente procure outro material na internet.
Forte abraço!
Prof. Miguel