quarta-feira, 15 de maio de 2013

Europa Centro-Oriental


Europa:Centro-Oriental

Essa região, também conhecida como "leste europeu", passa por um período muito conturbado de transição ao sistema capitalista. Possui um povoamento muito antigo, sendo fruto da desagregação de antigas nações, como o Império Austro-Húngaro e o Império Turco-Oto-mano. Ocupa uma região acidentada a nível de relevo, pois situa-se sobre os Alpes Dináricos e os Bálcãs. Sua densidade média é de 106 hab/km2 mas irregularmente distribuída, com uma maior concentração ao norte, onde o nível de industrialização é bem maior devido à presença de carvão mineral. Observe os dados dos países.
 Com a socialização vieram as indústrias, e com elas a rápida urbanização, que levou para as cidades cerca de 60% da população. Várias cidades hoje ultrapassam 1 milhão de habitantes: Budapeste (2,2 milhões), Bucareste (2,1 milhões), Varsóvia (1,8 milhão), Belgrado (1,5 milhão), Praga (1,3 milhão) e Sófia (1,2 milhão).Com essa urbanização rápida e acentuada, as cidades passam a enfrentar problemas típicos desse processo. Como conseqüência disso, temos também uma redução do ritmo de crescimento demográfico.
 Economicamente esses países possuem tradição agrícola; no entanto, são prejudicados pela topografia acidentada, pelo clima seco e pelos solos de baixa qualidade.Na Polônia e na Rep. Tcheca a agricultura é conseguida com a ajuda de muita máquina e adubação intensiva para fugir das dificuldades naturais. Aí plantam-se basicamente cereais como o trigo e o centeio. A aveia e a beterraba também merecem destaque. Já mais ao sul, no vale do rio Danúbio, as frutas merecem destaque, junto com o fumo e o milho. Se as terras do sul são de melhor qualidade, a seca é a grande dificuldade dessa região.A pecuária é importante em todo o território. Destaca-se a produção de laticínios e de lã.
A indústria dessa região é predominantemente de base, seguindo a linha soviética. Destaca-se a produção de ligas metálicas, principalmente na Polônia e na Rep. Tcheca. A indústria mecânica merece destaque na iugoslávia. A petroquímica é a principal indústria da Romênia. A indústria naval merece destaque na Polônia (Gdansk).
Hoje, devido à transição, do socialismo para o capitalismo, todos esses paises passam por crises econômicas, uma vez que agora estão em uma economia de mercado muito competitiva, em que quem não consegue alcance comercial (baixo custo e qualidade), sai sempre perdendo e fica em segundo plano. As dificuldades herdadas do antigo regime não credenciam esses países a grandes potências econômicas; por outro lado, a concorrência e a abertura desses países ao capital internacional criam altos níveis de desemprego que hoje se tornaram os maiores inimigos do leste europeu. A aproximação com nações capitalistas centrais é uma das alternativas para eles, mas não está garantindo uma solução rápida como se esperava. Outro problema que está sendo resolvido é a privatização de terras e empresas antes em poder do Estado. As bolsas de valores estão sendo utilizadas para distribuir lotes de ações que não encontrariam um único comprador

4 comentários:

Fico muito agradecido pela sua visita.
Me perdoe não poder responder às suas perguntas.
Se gostou e quiser elogiar ou criticar positivamente, ficarei agradecido e até envaidecido.
Se não gostou, não há necessidade de expor sua ira, frustrações ou ignorância escrevendo grosserias. Simplesmente procure outro material na internet.
Forte abraço!
Prof. Miguel