quarta-feira, 15 de maio de 2013

Austrália


Austrália

A Oceania engloba o menor dos continentes, a Austrália e muitas ilhas, dos mais variados tamanhos e origens geológicas, tais como Nova Zelândia, Papua, Nova Guiné, Fiji, Tonga e Tasmânia. Essas ilhas podem ser divididas em três grupos principais: Micronésia, Melanésia e Polinésia. Devido ao isolamento do resto do mundo, a flora e a fauna deste lugar acabaram por desenvolver espécies únicas. De todos esses países, o que mais merece destaque é a Austrália, que forma um continente no encontro do Pacífico com o Índico. Apesar de sua extensão territorial ser de 7 682 000 km2, seus seis estados e mais o território do norte possuem uma grande diversificação de paisagens que vão desde as florestas latifoliadas tropicais do litoral nordeste até os desertos da região central do país.
Aspectos Físicos
De modo geral, podemos dividir o relevo da Austrália em três porções bem distintas:
1) o Planalto Ocidental australiano ocupa toda a porção centro-ocidental do país, com uma altitude média de 600 metros, de formação cristalina, onde surge uma enorme riqueza mineral que servirá de base para o processo industrial da Austrália. Nesta parte, o clima é predominantemente árido e semi-árido, com o predomínio de vegetação de estepes (conhecida na região como scrub) e savanas. Os índices pluviométricos mal chegam aos 500 mm/ano. Essa paisagem só é mudada nas proximidades do litoral, onde as planícies costeiras encontram um pouco mais de umidade;
2) na porção oriental encontramos a Cordilheira Australiana (ou Alpes australianos), de formação geológica razoavelmente antiga, mas atingindo os 2 400 metros de altura em seus pontos mais elevados (Monte Kociusko). É o grande vertedouro dos rios australianos, que nascem das geleiras que se formam nos topos das montanhas e derretem formando boa e importante hidrografia. No litoral nordeste temos os climas mais quentes e úmidos do país, sendo que no litoral sudeste temos as maiores concentrações populacionais da Austrália;
3) entre as montanhas do leste e os planaltos do oeste temos o surgimento de uma bacia de origem sedimentar conhecida como Bacia Artesiana. Por essa bacia passa a maior parte dos rios australianos, usados principalmente para a irrigação da forte agricultura realizada nesse lugar. Por ser formada por solos de qualidade razoável para a agricultura, a Bacia Artesiana funciona como um celeiro, retirando-se daí uma grande produção agrícola com destaque para o trigo (oitava prod. mundial), a aveia (sexta prod. mundial) e a cana-de-açúcar (nona prod. mundial).
 Na hidrografia destacam-se os rios Darling e Murray, que cortam a Bacia Artesiana e desaguam no sul do continente. Outros rios descem da Cordilheira Australiana em direção ao Pacífico, possuindo alto potencial energético. Vamos destacar ainda a Grande Barreira de Coral, que se estende por mais de 2 000 km no litoral de Queensland, no litoral leste do país, guardando mais de 1 500 espécies de peixes , muitas esponjas e corais, servindo de um dos mais procurados pontos de mergulho. A grande diferenciação das paisagens naturais da Austrália, bem como sua diferente flora e fauna fazem do país um dos mais procurados pelo turismo mundial, atividade que cresceu mais de 200% nos últimos 5 anos e que encontra nos japoneses seus maiores admiradores. Os Alpes australianos também atraem muitos turistas para esquiarem em suas neves. Os festivais são constantes em Sidney e Melbourne, e o surf é muito procurado por jovens do mundo inteiro.
 Aspectos Humanos
A colonização européia inicia-se em 1788, com a vinda de presidiários, pois, devido às grandes distâncias do Velho Mundo, a Austrália era usada como colônia penal. Esses europeus encontraram um povo aborígine chamado aruna, que chegou cerca de 100 mil anos antes dos europeus, mas foi quase que totalmente extinto do continente (hoje resta menos de 1% dos arunas). A partir da independência, em 1901, o país passa a receber uma forte migração, principalmente de chineses, o que leva o governo branco a proibir a entrada de asiáticos de 1960 até 1975. Hoje 50% dos imigrantes australianos são asiáticos. Mesmo assim a população é muito pequena, cerca de 17 milhões de habitantes, o que dá ao país uma densidade demográfica de 2 habitantes por km2. É uma população que tem um crescimento muito baixo, em torno de 1% ao ano, e que vive quase que totalmente na zona urbana (85%). A Austrália possui hoje um alto padrão de vida, com baixo analfabetismo, grande escolaridade, boa expectativa de vida e baixa mortalidade infantil , que colocam o país em destaque.
Essa população sofre grande concentração nas cidades que se encontram nas planícies costeiras, principalmente no sudeste do país, onde encontram-se as maiores cidades como Sidney, Camberra, Melbourne, Brisbane, Adelaide e Newcastle.
 Aspectos Econômicos
1) Agropecuária: a adoção de técnicas modernas faz da Austrália um país de grande importância agrícola, com uma grande produtividade nas regiões onde a natureza facilita essas atividades, já que boa parte do país sofre com os climas áridos. O trigo e a soja são cultivados mais ao sul, na Bacia Artesiana, ao passo que a cana-de-açúcar desenvolve-se no litoral leste, mais quente e mais úmido, junto com as frutas e a aveia. A pecuária encontra destaque nos ovinos, criados por quase todo o continente, que dão ao país a maior produção de lã do mundo. Já a pecuária bovina ocorre perto das grandes cidades do sudeste. Como o consumo interno é baixo, devido à pequena população local, e a produção é relativamente alta, a Austrália destaca-se na exportação desses produtos.
2) Recursos naturais: possui uma das mais importantes minerações do mundo, com exportações que representam metade das vendas do país, correspondendo a 9,4% do PIB. Carvão, ferro (1ª produção mundial), alumínio, cobre, ouro (6ª produção mundial), prata (6ª produção mundial), urânio (4ª produção mundial), zinco (6ª produção mundial) e chumbo (7ª produção mundial) são os principais recursos australianos. Com os acordos feitos com países asiáticos, seus novos parceiros comerciais, a atividade exportadora de minerais vem crescendo no país, aumentando ainda mais sua importância, mas gerando graves problemas de poluição e devastação.
3) Indústria australiana: cresceu muito inicialmente com a ajuda da Inglaterra e baseada nos seus recursos naturais e matérias-primas agropecuárias. Devido às grandes distâncias encontradas entre o continente australiano e os mercados europeus, ocorre uma aproximação econômica com os países asiáticos, principalmente o Japão, que hoje representam os maiores parceiros comerciais da Austrália. Com forte participação de multi-nacionais (GM, Toyota, Ford, Volkswagen, entre outras), o país merece também destaque nas indústrias alimentícia, têxtil, siderúrgica, mecânica e química.
Com um PNB que é o 14º maior do mundo, e cerca de 16 000 US$ de renda per capita, a economia australiana tem uma inflação média de 1,4% ao ano, o que lhe dá grande estabilidade. Seu maior problema é a inflação na casa dos 10%. Pela existência de grandes desertos no interior, o sistema de transporte deixa a desejar no interior do país, estando muito concentrado nos litorais, onde ocorre a vida econômica do país. Grandes rodovias ligam cidades importantes como Melbourne, Sidney, Camberra e Adelaide, onde grandes caminhões chamados de "trens de estrada" cortam o asfalto. A nível de transporte de passageiros destacam-se os aviões, muito usados, que contam com um bom sistema de aeroportos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fico muito agradecido pela sua visita.
Me perdoe não poder responder às suas perguntas.
Se gostou e quiser elogiar ou criticar positivamente, ficarei agradecido e até envaidecido.
Se não gostou, não há necessidade de expor sua ira, frustrações ou ignorância escrevendo grosserias. Simplesmente procure outro material na internet.
Forte abraço!
Prof. Miguel