quarta-feira, 15 de maio de 2013

A CEI 2


CEI - A Comunidade dos Estados Independentes

O Segundo Mundo
O chamado segundo mundo ou mundo socialista sofreu grandes transformações nos últimos anos e podemos considerar que, como o conhecíamos, deixou de existir.
Hoje, o mundo socialista, caracterizado pela planificação econômica e pelo monopólio do Partido Comunista sobre o poder político, está restrito à China Popular (República Popular da China) e a algumas nações de menor expressão mundial como Cuba, Coréia do Norte, Birmânia, Vietnã e Laos.
A maior potência socialista que conhecemos na História - a URSS, deixou de existir e suas ex-repúblicas aboliram os dogmas políticos e econômicos do marxismo-leninismo.
O mesmo ocorreu com o segundo grupo mais desenvolvido de países do segundo mundo - o Leste Europeu.
As repúblicas do Leste Europeu também tentam, a duras penas, passar à economia de mercado.
As nações socialistas mais pobres como Cuba e Coréia do Norte, bem como o Vietnã perderam o respaldo da ex-URSS, com o fim da Guerra Fria e a distensão ocorrida durante a Era Gorbatchev.
 A CEI
A URSS foi extinta em 25 de dezembro de 1991.
O colapso político foi produto da terrível crise econômica que se abateu sobre o país nos anos 80, em conseqüência de cerca de 35 anos de corrida armamentista, durante o período de Guerra Fria.
A crise econômica não pôde ser resolvida apesar dos esforços do governo de Mikhail Gorbatchev que propôs uma ampla reestruturação e liberalização da economia (Perestroika) ao lado de uma abertura política (Glasnost).
A parte crítica da história da URSS se arrastou de 1988 até 1991, quando a União das 15 Repúblicas Socialistas Soviéticas foi extinta depois de um longo e perigoso processo de agonia.
No lugar da URSS surgiram 15 países independentes e soberanos, dos quais 11 organizaram a Comunidade de Estados Independentes.
 Aspectos Físicos
A CEI abrange uma área de cerca de 22,2 milhões de km2.
Sua enorme capacidade de produção, potencialidades naturais e poderio estratégico só pode ser comparado aos dos EUA, embora, hoje sua renda total e seu PIB estejam muito prejudicados pela crise econômica agravada pelas reformas em direção à economia de mercado.
O território da CEI estende-se da Europa Oriental (Polônia, Romênia) e da Escandinávia (Finlândia e Noruega) até o mar do Japão e o Pacífico, no sentido Oeste-Leste.
De norte a sul vai do Ártico até os desertos da Ásia Central, até a Mongólia e a China.
 A - Relevo
A porção mais importante do país é correspondente à planície russa, que vai das fronteiras ocidentais até o rio Ienissei; de sul a norte, vai dos mares Cáspio e Negro até o Ártico. Pequenas elevações quebram a monotonia da planície, como os Montes Urais (600 m de altitude média), não oferecendo obstáculo maior.
Erosões glaciais afetaram parte da planície provocando o aparecimento de grandes lagos ao norte e solos fertilíssimos ao sul. Ao sul dos Urais, a região plana, onde se localizam os mares Cáspio e Aral, representa o fundo de um mar desaparecido, é a área chamada Ásia Central; a leste, a má drenagem dos rios existentes provoca uma vasta área pantanosa.
Na porção sul existem grandes montanhas (Cáucaso) e a leste delas, planaltos de altitudes diferentes, confrontando com a Mongólia e a China.
Na Sibéria Central e oriental (leste do Ienissei) dominam planaltos drenados por enormes rios, até a península de Kantchatka: vastidão gelada e menos povoada.
 B - Vegetação
De norte a sul, no sentido dos paralelos, há uma sucessão de paisagens vegetais e de solos, que influem poderosamente na economia soviética. O geógrafo francês, Pierre George, foi quem melhor definiu o país, como de "Monotonia de Paisagens", por elas serem gigantescas.
· Tundra: na faixa superior do território, os solos gelados, na maior parte do ano, dão lugar em poucos meses à cobertura de musgos e liquens da tundra: alimento das renas e outros animais.
· Taiga: numa gigantesca área de solos ácidos (podzol), localiza-se a maior floresta da Terra, em sua maior parte de folhas perenes, mas com vastas porções de árvores de folhas caducas e perenes.
· Pradarias: ao sul da taiga, aparecem os solos fertilíssimos (tchernoziom), onde uma vegetação herbácea os recobrem.
· Estepes: solos descobertos, alternados com os recobertos por tufos de erva que, embora menos férteis, também permitem a exploração agrícola.
· Desertos: mais ao sul, em vastas extensões, surgem os desertos de superfícies de areia, com pouca vegetação. É o maior deserto de sal do mundo.
· De Montanha: as diferentes condições de altitude, umidade, temperatura, permitem uma diferenciada seqüência de vegetação no extremo sul.
 C - Climas
Predomina o clima continental, pois há pouca influência oceânica. Os invernos são rigorosos, nervosos e prolongados, mas os verões são quentes e úmidos (Moscou presencia a neve quase a metade do ano). No inverno, entretanto, a umidade baixa favorece a população. 16% do país ficam no Círculo Polar Ártico e a maior parte do país em latitudes elevadas.
Temperaturas negativas da Sibéria: média geral do mês mais frio ( - 40 °C - bacia do Rio Lena), Verskoiansky - um dos lugares mais frios do mundo (- 50 °C em janeiro). Na foz do Ienissei, em vários meses do ano, o sol fica abaixo do horizonte (noite polar).
Já na porção sul da CEI, na Ásia Central, existem climas quentes e secos entre o mar Cáspio e o lago Balkhash.
 D - Os Litorais
A CEI, além de extensas fronteiras terrestres, possui, igualmente, enormes costas marítimas em três oceanos: o Glacial Ártico, o Pacífico e o Atlântico (por duas saídas: mar Negro, atingindo o Mediterrâneo, e do Báltico, pelo norte). Dificuldades naturais e políticas se apresentam, no entanto, aos transportes.
· pelo Ártico: apenas o porto de Murmansk é ativo durante todo o ano, mas as regiões que lhe são próximas importam pouco, no sentido econômico. No mais, predominam o frio e o gelo, onde navios "quebra-gelo" intentam favorecer uma navegação permanente, de elevado sentido estratégico: poderá vir a substituir as atuais rotas para o Extremo Oriente (canal de Suez e volta da África), além de atingir a América do Norte;
· pelo Pacífico: também por aí o gelo está presente em muitos meses do ano. Dois outros fatores limitam sua importância: litoral montanhoso e distante das regiões mais ricas;
· pelo Atlântico: dificuldades políticas se antepõem: pela rota do Báltico, muitas passagens são de controle dinamarquês e, pelo Mediterrâneo, por estreitos de controle turco. Existem tratados, no entanto, que garantem o tráfego. Os maiores portos são: Odessa e Rostov (mar Negro) e S. Petersburgo (no Báltico) sendo importantíssima a navegação no mar Cáspio, excetuando-se a pesca (das principais do mundo), há um desequilíbrio entre os negócios marítimos e o restante dos setores de poderio.

Um comentário:

Fico muito agradecido pela sua visita.
Me perdoe não poder responder às suas perguntas.
Se gostou e quiser elogiar ou criticar positivamente, ficarei agradecido e até envaidecido.
Se não gostou, não há necessidade de expor sua ira, frustrações ou ignorância escrevendo grosserias. Simplesmente procure outro material na internet.
Forte abraço!
Prof. Miguel